top of page

Qual a relação entre tocar um instrumento e uma DTM?

Pacientes que apresentam queixas de dor na região orofacial em que estão envolvidos os músculos mastigatórios ou as articulações temporomandibulares (ATM), podem ser diagnosticados com desordens temporomandibulares (DTMs).



As condições clínicas são caracterizadas por dor nos músculos mastigatórios (comer ou bocejar), na área pré-auricular e/ou nas ATM; movimentos mandibulares limitados e/ou desviados; e sons da ATM (clique e/ou crepitação.

Entre os possíveis fatores desencadeantes e perpetuadores de sinais e sintomas de DTM estão os movimentos da mandíbula que estão fora da função normal (atividades disfuncional) e hábitos bucais como ranger de dentes, morder canetas ou lápis e mascar chicletes. Esses fatores criam uma sobrecarga do sistema mastigatório, causando DTMs.


Da mesma forma, tocar um instrumento musical que carrega o sistema mastigatório também pode ser considerado um tipo de atividade disfuncional.

Com isso em mente, a reprodução de instrumentos musicais tem sido frequentemente associada à presença de DTMs.


Músicos de sopro podem sobrecarregar seu sistema mastigatório devido ao esforço dos músculos mastigatórios e faciais que controlam o formato da boca e dos lábios. Da mesma forma, ao tocar violino ou viola, esses músculos operam em conjunto com os músculos do pescoço para fixar o instrumento entre a borda inferior da mandíbula e o ombro esquerdo.

Entretanto, mais estudos são necessários para investigar o papel de tocar um instrumento musical e o início ou manutenção de disfunções temporomandibulares.


Fonte: van Selms et al. Evidence-based review on temporomandibular disorders among musicians. Occupational Medicine, Volume 67, Issue 5, July 2017, Pages 336–343


Liliana Mores – Cirurgiã-Dentista CRO/SC 15297

Odontologia na Medicina do Sono

DTM & Dores Orofaciais, Bruxismos

Odontologia para Músicos

Comments


bottom of page